Notícia

Solução para a exportação de frutas
Proteção no transporte
    inovação

    Mais proteção, mais vendas, rentabilidade maior

    Uma resposta concreta - e há muito tempo esperada - a um anseio do mercado exportador de mamão foi dada pela Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, ao desenvolver uma nova solução em plásticos exclusiva para o mercado da fruta, em parceria com a Union of Growers of Brazilian Papaya (UGBP), empresa de produtores de Linhares (ES), região conhecida como capital nacional da exportação de mamão*. Trata-se de um filme de polietileno que confere ao envoltório a qualidade, a segurança e a estética que os agricultores capixabas desejavam, contribuindo para fortalecer suas vendas externas e aumentar sua rentabilidade, ao garantir proteção e conservação dos produtos até que cheguem às mãos do consumidor.

    Queríamos oferecer ganho de qualidade ao consumidor e fixar a nossa marca", afirma Rodrigo Martins, diretor da UGBP. "Conseguimos desenvolver juntos uma embalagem que atendesse todos os requisitos nesse sentido." Segundo o executivo, a utilização do plástico pode reduzir alguns dos prejuízos mais comuns às frutas no mercado.

    Os resultados foram animadores. Após diversos testes, ficou claro que a embalagem permite a maturação mais uniforme da fruta, garante a proteção contra qualquer contaminação e aumenta o tempo de exposição nas bancas em até quatro dias. "A parceria com os produtores da UGBP foi muito produtiva e bem-sucedida", observa Albertoni Bloisi, responsável pela área de Desenvolvimento de Mercado na Braskem. "O maior desafio foi alinhar a tecnologia da nossa resina com as demandas dos agricultores, sempre visando os desejos do consumidor em mercados tão diferentes, no Brasil e no exterior."

    A nova embalagem já está disponível no Brasil e nos Estados Unidos (um dos principais consumidores de mamão papaia no mundo), e a UGBP já planeja os próximos passos. As metas para os próximos anos são desafiadoras. A empresa espera não apenas ampliar os 350ha de produção própria de papaia (que se somam a 300ha de produtores parceiros), mas  também avançar em um projeto de frutas cítricas, com o cultivo de limão taiti e laranja pera, ainda em fase de plantio, e iniciar o plantio de figo. Além de produtos in natura, a empresa está implantando, na cidade de São Paulo, uma planta de produção de frutas minimamente processadas e higienizadas para a comercialização e distribuição em cozinhas industriais e no varejo. "A ideia é agregar maior valor, aumentando o mix de produtos para atender o varejo, acompanhando as tendências de consumo global, com maior comodidade, praticidade e menor desperdício", explica Martins.

    * Com produção média de 600 toneladas de papaia por mês, a UGBP exporta para França, Alemanha, Itália, Holanda, Portugal, Polônia, Espanha, Inglaterra, Canadá e Estados Unidos. No mercado nacional, a organização vende para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

    Compartilhe
    2 votos
    TAGS: mamão, fruta, filme de polietileno, proteção, conservação, segurança, parceria, UGBP, papaia

    Não encontrou o que procura?

    Escreva abaixo os assuntos sobre embalagens que você gostaria de ver por aqui.

    Isso também pode te interessar